Publicado em: 2007-01-10

Porque dormir com eles

De entre as inúmeras causas das alergias, os ácaros do pó da casa são, sem dúvida, um dos maiores deflagradores das alergias respiratórias, nomeadamente, da rinite e da asma alérgica.

São organismos minúsculos, com menos de meio milímetro de comprimento. Pertencem ao grupo dos aracnídeos e são invisíveis a olho nu. Existem várias espécies de ácaros, mas a que mais causa alergia é a Dermatophagoide.

Estes pequenos inimigos, parentes das aranhas, alimentam-se de escamas da pele humana. Pelo calor, humidade e nutrientes, eles encontram nas nossas camas as condições ideais para a sua sobrevivência e reprodução. Por isso, os colchões são os melhores viveiros para os ácaros.

Assim, o alérgico encontra e convive todas as noites, por um período de mais ou menos oito horas, com os seus principais inimigos».

Mas, para além dos colchões, também se encontram presentes nas alcatifas e outros revestimentos têxteis, como bonecos de peluche, cobertores, almofadas, tapetes e sofás.

Contrariamente ao que muitas pessoas pensam, os ácaros não «mordem».

Na realidade, são alguns dos seus constituintes, nomeadamente presentes nas suas fezes, que possuem a proteína a que normalmente os alérgicos reagem, podendo provocar uma manifestação alérgica caso o alérgico lhes seja sensível e contacte ou inale uma quantidade suficiente desses alérgenos. Com os movimentos que uma pessoa faz, esses alérgenos são constantemente projectados, espalhando-se pelo ar e, posteriormente, pousando no chão.

É pela dificuldade que se tem a limpar os têxteis, onde estes alérgenos muitas vezes se fixam de novo depois de assentarem, que se explica a relação entre os têxteis e as reacções que muitos alérgicos experimentam quando contactam com este tipo de materiais.

É também por essa razão que os ácaros são um constituinte do pó da casa e daí que muitas vezes se diga que se é alérgico ao pó.

«O pó é um “cocktail” de alérgenos. Tem desde alérgenos alimentares a ácaros, fungos e pólenes. Não existe alergia ao pó enquanto pó, mas existe enquanto elementos que estão inseridos no pó».

O diagnóstico da doença alérgica deve acontecer o mais precocemente possível, não havendo idade para se diagnosticar o facto de se ser ou não alérgico. Logo que diagnosticada a alergia, a primeira medida de tratamento é evitar o contacto com a substância à qual se é sensível – medidas de evicção.

No caso dos ácaros, e como estes não têm predadores, não existe qualquer bichinho que os destrua. A maneira que existe para os eliminar é criar condições para que estes não se desenvolvam e/ou diminuir o contactos com as nossas mucosas



Publicante:
Entidade:rainbow
Nome: Isabel Rocha
Cargo:


< Responder ao Anuncio >



Outros Anuncios





NAO PREENCHER (anti-spam): ( deixe em branco )

Pedido de Informações
Precisa de informações adicionais? Não encontrou o que procurava? Não hesite em contactar-nos:

Conhece alguém que beneficiará da informação, produtos ou serviços disponibilizados nesta página? PARTILHE-NOS!